Jump to content

deproxmonrox

Membro
  • Content Count

    137
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    3

deproxmonrox last won the day on December 11 2015

deproxmonrox had the most liked content!

Community Reputation

107 Bom

About deproxmonrox

  • Rank
    Muito Noob
  • Birthday 03/11/1997

Profile Information

  • Gênero:
    Masculino

Contact Methods

  • Facebook:
    https://www.facebook.com/LucasNeo.Werneck/
  • Skype:
    LucasNeo.Werneck
  • Site:
    https://www.l2jlucera.com

Recent Profile Visitors

3,159 profile views
  1. Bom se você utiliza dominio pago você pode fazer o seguinte utilizar a CloudFlare O Cloudflare é um serviço que permite tornar o seu site mais seguro e ao mesmo tempo pode torna-lo mais rápido (se ainda não o conhece, leia o artigo o que é o Cloudflare e quais são os seus benefícios) e apesar de ser fácil de usar temos recebido alguns emails com dúvidas, por isso neste artigo vamos explicar como deve de instalar e usar o Cloudflare. Como Começar a Usar o Cloudflare? Usar o Cloudflare é simples e não requer grandes conhecimentos. Primeiro deve de verificar se no painel de administração do alojamento web do seu site se existe um icon do Cloudflare (uma nuvem laranja). Caso tenha, clique nela e na página seguinte será pedido que crie uma conta no Cloudflare, depois só tem que clicar em cima da nuvem cinzenta para que todo o seu tráfego passe a ser gerido pela rede do Cloudflare. No caso desse ícone não existir, você tem que alterar os DNS do seu domínio (endereço do site). A primeira coisa que tem que fazer é ir ao site do Cloudflare, criar uma conta, adicionar o domínio e substituir os velhos DNS pelos novos. Como Fazer? 1. Vá a cloudflare.com/sign-up e crie uma conta ou faça o login caso já tenha uma conta criada 2. Escreva o endereço do site (em o http:// e sem o www.) e clique em "Add this website" 3. Aguarde que o Cloudflare configure o seu domínio 4. Veja se todas as zonas de DNS estão bem, não altere nada caso não saiba o que está a fazer 5. Na página seguinte são fornecidos os novos DNS. Você tem que ir ao local onde pode gerir o seu domínio, apagar os antigos e substituir pelos que foram fornecidos pelo Cloudflare. Se não souber como fazer, contacte a empresa onde você comprou o domínio e peça informações sobre a mudança de DNS. 6. A alteração dos DNS pode demorar várias horas, em alguns casos é quase instantâneo, mas a propagação mundial demora normalmente 24 horas. Opções para Gerir o Domínio e Estatísticas Em cloudflare.com/my-websites, você pode ver todos os seus domínios. Ao lado de cada domínio existe um link "Reports & Stats" onde poderá ver as estatísticas de acesso ao site (visitas, tráfego gasto/poupado, ameaças, ataques, etc). Ainda no mesmo espaço, um pouco mais para a direita, em "Settings", existem várias opções entre elas a opção "CloudFlare settings". Ao clicar vai ter a uma página onde você fazer o upgrade para uma conta premium, alterar o nível de segurança e ativar/desativar a firewall, limpar a cache e fazer alterações a forma como o Cloudflare vai funcionar. Recomendamos que perca aqui algum tempo para perceber para que serve cada opção para que a performance do seu site seja a melhor. Nesse mesmo menu existe ainda a opção "DNS Settings" que deve de ser usada caso queira alterar alguma coisa nas zonas de DNS (exemplo: alterar os IP's do seu servidor, etc). As Estatísticas Aqui é possível analisar todo o tráfego que você recebe e o tráfego gasto. Na parte superior a verde fica todas as visitas e a vermelho as visitas que foram “bloqueadas” pelo Cloudflare. O bloqueio de visitas é feito com base no IP de cada visita. Por exemplo, se um IP é conhecido por fazer parte de uma botnet, esse IP sempre que visitar o site terá que inserir um código (captcha) para poder entrar no site. O tempo em que esse IP pode navegar pelo site pode ser definido por si. Nesta página é possível também ver quais são os motores de pesquisa que estão a indexar o nosso site e o número de páginas vistas por eles. O tráfego gasto e poupado pelo Cloudflare está quase no fim da página. Dependendo do tipo de conteúdo que você tem no seu site, a taxa de tráfego servido pelo Cloudflare é alta. A poupança de tráfego apenas se aplica para ficheiros estáticos (imagens, páginas html, páginas com css, scripts, etc). O "Mau" Tráfego No canto superior direito da página das estatísticas, existe um link "Threat Control" que vai ter a página onde você pode ver todos os IP’s e a razão pela qual foram bloqueados/foram obrigados a inserir um captcha code, bloquear/debloquear IP’s e ainda bloquear ou desbloquear países. Isto significa que se você tem um site que não deve de receber visitas de um determinado país, basta adicionar o nome ou nomes dos países e todas as visitas vindas desses locais não conseguem ver o site. É possível também adicionar os países a uma “lista branca” para que as visitas desses países nunca sejam bloqueadas mesmo que sejam consideradas "perigosas". Gestão dos DNS Por defeito o Cloudflare detecta todas as zonas DNS que o seu domínio tem no momento em que o adiciona a plataforma, mas é possível fazer alterações depois. Na página onde aparece os seus domínios, no lado direito do domínio existe a opção "DNS Settings" e aí pode fazer todas as alterações que quiser. Nesta página você pode ativar ou desativar o Cloudflare para algum acesso do seu site. Basta clicar em cima da nuvem e depois escolher a opção “Enable” ou “Disable” (ativar cloudflare e desativar cloudflare). Isto é útil quando você usa uma CDN e tem um sub-domínio para isso, se quiser que todo o conteúdo continue a ser servido pela CDN deve desativar o cloudflare nessa entrada de DNS. Configurações da Proteção e Aceleração do Site A página de configuração e gestão de todos os aspetos do Cloudflare pode ser encontrada também nas opções que estão ao lado do domínio, é a opção "CloudFlare Settings". Nessa página é possível configurar a forma como a cache será feita, a otimização do site e também o nível de proteção desejado. Apesar de cada domínio ter uma configuração default, você deve de adapta-las para obter mais benefícios deste serviço. Descrição de cada opção: CloudFlare Account Type: Escolha o plano que deseja ter. Por defeito a opção é a "Free" (gratuito), escolha a opção "Cloudflare Pro" para poder fazer o upgrade. Basic Security Level: O nível de segurança básico pode ser ajustado aqui. É recomendado a utilização da opção média (medium) ou baixa (low). Um nível de segurança alto bloqueia até os visitantes que possam ser considerados de risco mínimo, já a opção "low" bloqueia apenas os que são considerados os mais perigosos. Caching Level: Recomendamos a utilização da opção "Aggressive" para obrigar os browsers a ficarem com o conteúdo mais depressa em cache e diminuir os pedidos ao servidor. Automatic IPv6: O IPv4 está a acabar e para o substituir temos o IPv6, se quiser que o seu site já suporte o IPv6 ative a opção "Full". Minimum Expire TTL: Especifique o tempo máximo para o conteúdo ficar no computador do visitante. Se tiver visitantes que vejam várias páginas do seu site durante o dia, um tempo maior é recomendado porque parte do conteúdo já está em cache e não precisa de ser carregado novamente. Um valor a volta das 4 horas é, segundo o Cloudflare, aceitável. Auto Minify: Esta opção permite minimizar e otimizar os ficheiros de CSS, HTML e JS. Em alguns casos essa otimização pode causar problemas do site, mas vale a pena testar e se tudo trabalhar bem é uma opção a considerar porque diminuí o tempo de carregamento do site. Rocket Loader: O rocket loader faz com que vários scripts, externos ou internos, sejam carregados de forma alternada aumentando a velocidade de carregamento do site. Challenge Passage TTL: Quando um IP é bloqueado tem a possibilidade de inserir um código "Captcha" e navegar no site durante um tempo que você definir aqui. Quando esse tempo acabar é necessário inserir um novo código para poder continuar a navegar pelo site. Customize Challenge Page: Permite configurar a página vista pelos users bloqueados. Advanced Security: Esta é uma opção só para users "Pro" e é uma firewall online que protege o seu site de vários tipodes de ataques (sql injection, xss javascript injection, etc) e protege mais do que o recomendado pela OWASP. Talvez uma das melhores opções existentes. Website Preloader: É também uma opção disponível só para users pagantes que carrega em background e depois de ter aberto uma página até 200 ficheiros (os mais populares) para que parte dos ficheiros estejam já em cache e a navegação seja muito mais rápida. Outbound Links: Permite que você faça o tracking dos cliques de saída. Usa javascript e não altera os urls que estão no código do site. E-mail Address Obfuscation: Ao ativar esta opção, todos os emails que existam nas páginas do seu site serão codificados para evitar que os emails vão parar a listas de spam. Não há problemas de compatibilidade para o visitante desde que o javascript esteja activo. Server Side Exclude (SSE): Com esta opção ativa e depois de adicionar um código ao código do seu site, as visitas suspeitas deixam de ver partes do site definidas por si. Always Online: Significa "sempre online" e serve para mostrar as páginas que estão em cache mesmo quando o seu servidor está offline. Basicamente assegura que o site esteja acessível quando o servidor está offline. IP Geolocation: Detecta a localização do IP e permite que o visitante veja vários conteúdos, dependendo da localização. Google Analytics: Quer usar o Google Analytics sem adicionar nenhum código no código do seu site? Pode colar o código de tracking aqui. Browser Integrity Check: Através desta opção o Cloudflare faz uma verificação a integridade do browser e se detectar alguma coisa de errado o visitante será bloqueado. Hotlink Protection: Se quer que as imagens/ficheiros só estejam disponíveis quando alguém visita o seu site pode ativar esta opção e sempre que alguém tente abrir ou ver um desses ficheiros será redireccionado para uma imagem definida por si. Esta opção permite poupar tráfego, mas não é recomendada. Cache Purge: Esta opção permite limpar toda a cache do Cloudflare. Útil para quando faz alterações no site ou no próprio cloudflare e quer que essas actualizações estejam logo disponíveis para os seus visitantes. Development Mode: Se está a fazer alterações no seu site em ficheiros que podem ficar na cache (imagens, css, html, etc) pode ativar esta opção e todo o tráfego será "ignorado" pela cache. Todos os visitantes carregam o conteúdo que está no seu alojamento. Related DNS Actions: Gestão das zonas de DNS. E estas são as opções existentes neste momento. Como Corrigir o Erro de "Website Offline" Um dos problemas que muitos encontram ao usar o cloudflare é ver, de vez em quanto, uma mensagem que diz que o website está offline mesmo quando está a funcionar bem. A solução é adicionar os IP's do cloudflare a white list do vosso servidor de alojamento pois como são apenas aqueles IP's que acedem ao alojamento do site por vezes ficam bloqueados e deixam de funcionar. No seguinte link podem encontrar as gamas de IP's do cloudflare. Podem pedir ao suporte da empresa de alojamento para adiciona-los a whitelist e em principio o problema desaparece. Link: support.cloudflare.com/entries/22036452-my-website-is-offline-or-unavailable Conclusão O cloudflare é um serviço que é fácil de usar, no inicio pode parecer confuso mas depois a única coisa que pode ter que fazer ocasionalmente é limpar a cache. Uma conta gratuita é suficiente na maior parte dos casos, mas caso tenha um website que precise de mais proteção uma conta Cloudflare Pro é a melhor solução e custa apenas 20 dollars por mês! Além dos benefícios no que diz respeito a velocidade, segurança e poupança de recursos, a probabilidade do site ficar completamente offline é muito baixa pois existem servidores em vários continentes (EUA, Europa, Ásia) e quando um está com problemas o tráfego é redirecionado para outro datacenter que esteja próximo. Mais se você não quer gasta dinheiro e presisa utilizar um NO-IP um endereço free Ex: l2explo.sytes.net e etc lah vai... Mas ter um IP fixo em uma máquina ajuda ainda mais nesse processo, afinal, você não precisará verificar com qual número o computador está conectado toda vez que quiser se conectar à Internet. O problema é que ter um IP fixo na internet é algo caro para um usuário comum, e nem sempre é acessível, pois nem todas as empresas que fornecem esse tipo de acesso são capazes de fornecer um endereço de IP que seja sempre o mesmo (ou então cobram um valor à parte por isso). Então, qual seria a solução para aqueles que desejam ter um endereço fixo sempre apontando para a sua máquina? O serviço No-IP pode ajudar nessa questão. Com o software No-IP, como o próprio nome sugere, você não precisa saber com qual o IP ao qual o computador está conectado à internet, pois ele redireciona esse endereço, que muda a cada vez que você se conecta, para um nome fixo definido por você mesmo. E tudo de graça. Isso permite ao usuário, por exemplo, montar um pequeno servidor na Internet, seja para jogos ou outro tipo de aplicação, ou usar recursos de conexão remota como VNC (Virtual Network Computing) e Remote Desktop Connection (a conhecida Conexão de Área de Trabalho Remota do Windows), já que eles exigem o endereço de IP da máquina de destino para fazer essa conexão. Esses são apenas alguns exemplos, mas as possibilidades são infinitas. Então, vamos aos passos para a criação de um nome de host e configuração do No-IP: Passo 1. Cadastre-se no site do No-IP. Isso é necessário pois, antes de tudo, você precisará definir qual será o nome que fará o redirecionamento para o seu IP. Para fazer esse cadastro, acesse www.no-ip.org e clique em “Create Account”; Passo 2. Após criar a sua conta e confirmá-la, faça o login no site do No-IP e clique em “Add a Host”. Na tela seguinte, defina o endereço desejado em “Hostname”, marque “DNS Host (A)” em “Host Type” e confirme clicando em “Create Host”. Você pode criar vários hosts em uma mesma conta; Criando um host (Foto: Reprodução/Fernando Motta) Passo 3. Criado o seu endereço, agora é só baixar o client do No-IP, o No-IP DUC (Dynamic Update Client), clicando em “Download Client”; e instalá-lo na máquina para a qual você deseja direcionar o endereço criado. Há versões para Windows (todas as edições), Linux e Mac; Inserindo dados da conta Passo 4. Depois de instalar, execute o client do No-IP. Ele solicitará que você informe o e-mail e a senha da conta. Informe os dados conforme você cadastrou no passo 1 desse tutorial; Passo 5. Em seguida, ele exibirá os hosts que você já criou no passo 2 para que você defina qual deles deseja usar nessa máquina. Basta marcar a caixinha e clicar em “Save”. Pronto! O seu endereço físico já está redirecionando para a sua máquina, para que você possa acessá-la de onde quiser, bastando que ela esteja ligada e conectada à Internet. Dica: clicando em “File/Preferences” na tela principal do client, você pode marcar a opção “Run as a system service” (executar como um serviço do sistema) e salvar. Isso ativa o programa para funcionar como um serviço do Windows, o que faz com que não seja necessário haver um usuário logado ao Sistema Operacional para que a captura do endereço IP da máquina funcione.
  2. Rev 4.4 L2jGroot Projeto Russo Data: 2015/09/10 TimeFree (sem limite de tempo) Atenção Guerreiros! Alterações Spiosk, correções, mostrado abaixo, pode ser duplicado, repetindo similar em valor, etc. (como é um serviço de e poderia escrever algo como em momentos diferentes). Ele corta, tudo como parte do cliente. A montagem não tem um limite de tempo. Corte o registro de versões. Registra mudanças são misturados (não fim hronologichny) GEODvig aqui embora eo novo, mas vamos dizer ... em alguns lugares, pobre, infelizmente, só muito recentemente (2015/07/10) trouxe à mente completamente. Ele matou um grande esforço, mas funciona bem. Dopilennuyu GEOdvig cair apenas sobre o público, mas eu acho que vai ser no próximo ano. A lista de mudanças: * Trabalho Seps --- * Jogo / config / mods / champion_mobs.properties ChampionRewards = 2.01 ChampionAdenasRewards = 0,25 agora oferece suporte a ponto flutuante. Com isso agora pode aumentar ou reduzir o prêmio. --- + Guarda Servidor Item - veio para substituir uma configuração MaxCoutItem mesma funcionalidade, mas agora sem o GAL + c convenientes logs de saída --- * Corrigido DUP para Aden (para aqueles que gostam de colocar o fator importante em equipamentos de peso) * Reescrita o método de identificação de jogadores online * A otimização de consultas no banco de dados para um jogador online * Validação Método particular Player on-line * O mecanismo do personagem amostra (adicionado um par de cheques + registros) * Corrigido um bug onde foi possível executar off-line sobre o Comércio * Todas as atividades são associadas com os objetos - carvão difícil de verificar on-line (2 resolve o sessão de perguntas, cobrindo até mesmo a mais leve suspeita de que) * Fix que permite desenhar uma arma em um argumento * Método cuidados Reworked ao comércio off-line * Reworked o método, NetPing Jogador * Otimização significativa e preparação para a transição para o novo geodvig --- + Adicionado mensagens de seleção na PM (como uma protecção mínima de bots e spamma no servidor) O nível de Pelo número de tempo gasto no jogo Premium / sem prêmio --- * Fix Dupa através do comércio off-line * Reworked calcular as coordenadas para a cundukov desova e monstros * Corrigido NPC em telhados - StrictHeroSystem = false agora funciona corretamente. O jogador pode colocar armas Hiro se a configuração é habilitado por padrão, você não pode tomar parte na competição, com os braços de Hiro. * Reescrita da classe no comando do dia e da noite NPC * Corrigido o "Noite de Belarus" - 25328 -Removed Aulas mais usado (principalmente antiga GEO) * O código responsável pela GEO trouxe à mente (refactoring): removido supérfluo, limpou significativamente o lixo deixado de Lucera. * Varningov configuração ausente: config removido, o velho de Marketing * Agora, quando você interromper a experiência, continuar a receber SP (paramos a mesma experiência, mas não SP) * Um bug na fazenda Zaken (adicionado no processamento de intimação GEO) * Habilidade de Dodge está funcionando corretamente (graças TeJIo) * Quando redefine HTML (// recarga html) e alguém teve tempo para falar com NPC - NPC não ficou trabalhando. * AltBlacksmithUseRecipes = false configuração funciona corretamente (Agora nós não requerem prescrição da CARA) Altamente processados ​​posicionamento classe de caracteres / objetos no mundo do jogo. Infelizmente, demorou (em debug) um pedaço decente de tempo. No menor + Validação posição do objeto no mundo. * Se a magia falhar por texturas, ele retorna ao último ponto, antes que ele caiu completamente ou na superfície. * Se for absolutamente tudo é mau (preso bezvylazno encantos eo sistema não foi capaz de puxá-la), enviar vigor em Giran (centro). (E não é muito bom, mas a escolha não é particularmente) * Reworked a queda de char método. Agora, se a magia falha na textura - não dar-lhe o dano. Se a magia só cai dar dano. * Corrigido um problema onde o dano foi dada uma taça ou mais duas vezes (não completamente, mas parcialmente) + Config: SyncMobSpawnCoord (sempre melhor para colocar falsa ... a verdade ..) + Config: PathFindMaxTime + Método de respawn maçanetas * Agora com GEO funcionar corretamente porta (não pode ser alocado) * Otimização de Marketing e alocação de memória (descarga longas quadrados não utilizados) * Mudanças cosméticas (limparam um pouco de código de excesso) * Os problemas associados com falhas de caracteres * Capacidade de baixar Off Marketing (conv.dat) * Correção cosmética (GEO agora é só escreve o número final de praças e leyerov) que não iria entupir o log * Silencioso finalizado e pathfinding opitimizirovan * Mobs não provalivayutsya sob camadas de geo Corrigido um erro com a capacidade de Samonas (ligação a GEO) * DUP usando ArtMoney através WH (como relatado por um cliente que ele funciona, eu testei, e não poderia dyupnut nada por uma hora tentando), mas acrescentou que o teste: -a possibilidade de substituição de coisas -ID Vídeos: * Reworked o método da Random (biblioteca tomou Apache). Testado, como obras muito melhor do que o que era. Mais suave aleatório e uniforme, que não é claramente suficiente randomayzeru de idade. * Habilidade Sancellation: Com o advento da nova randomayzera funciona de maneira mais eficiente, isto é: -Snimaet 1,2,3 habilidade, que em uma boa margem, raramente 4, raramente 5. Habilidade -Prohozhdenie: é a primeira vez passa (sem necessidade de gritar que 100% de chance), é aleatória, em seguida, a mesma sorte. Muitas vezes desencadeada 8-10. Em média 6/3 tão bom e deve ser. -Agora Não remover buffs (ID): 1355,1356,1357,1363,1413 * Trabalho sobre o GEO (na verdade rolo de volta à solução anterior, que acabou por ser mais estável) * Corrigido um problema com Dupa fixo possível através do buraco de minhoca (onde só adicionar um item) * A montagem não inicia em localhost e 127.0.0.1 para um teste local * Re-fix relacionadas com "O objetivo não é visível" porta eo NPC. * Rede Fixa A Criatura Primeval Poderoso: chance muito pequena de ovos de dinossauros saque (aumento de 1% a 10%) * Fix se configuração AnnounceWorld = foi especificado Senhor, DUKE, CLANLEADER ou PREMIUM (ou um par de valores, ou todos, não importa), anunciou a entrada de jogadores com apelidos: Senhor, DUKE, CLANLEADER, PREMIUM * Otimização significativa do servidor: Retrabalhado alguns dos métodos associados com os recursos e instalações Grande parte do trabalho sobre vazamentos de memória, mas, infelizmente, ainda não definitiva Pools de Emprego Pequenas correções relacionadas à otimização * Corrigido um problema onde o GEO sempre navio. Agora, se o GEO off - não enviá-lo * Preparação de trabalho de montagem em licenças adicionais * Otimização do conjunto (eliminado um par de pequenos vazamentos de RAM) * Finalmente fixa um problema com a porta (O objectivo não é visível) * Finalmente resolveu o problema com mobs: No ar -Zavisayuschih Em -Provalivayuschihsya textura - "O propósito não é visível" * Corrigido um problema com TA de Baium após sua morte Busca * Corrigido: The Name of Evil (Parte I) * RB que aparece apenas durante a noite - não está morto. Fixo * Em conexão com o novo movimento GEO, abriu uma velha vulnerabilidade: Fraude Patch. Corrigir. De fato agravado (se é que ainda não sei) * De tudo 70+ RB mesmo dar pequena experiência lvlam depois do dia 20 lvl em algum lugar: Use config: party.properties ---> PartyMaxLevelDifference que têm um alto lvl, eu não poderia tomar o partido, pequeno, e tudo mais. // NOTA: Para ser honesto, eu não considero um erro. Basta definir a diferença de nível normal. * Agora, quando o PC ou carregar a arma amaldiçoada não pode ser feita subclasse. Uma vez que este causou críticas, todos os jogadores na cidade. A configuração atualizada chat.properties A configuração atualizada champion_mobs.properties Geo Versão: 1,37 PS. Em geral, eu tentei, da melhor maneira possível, trazer uma lista de correções para a legibilidade da mente e sem repetições. Mas eu ainda não gosto, mas é mais tempo que eu tenho, mais tarde pode mexer, mais legível. Download Kernel 3.8MB Data Pak + núcleo 26.58Mb Atualize 4.3 -> 4.4 Creditos : Groot
  3. Parece ser bom d+, mais quero ver se vai ser pelomenos 80% => Proteções Inclusas
  4. Bom, se você estiver colocando o appserver no VPS vocé vai fazer o seguinte, vai desativar o Firewall se for Windows Server 2008 Depois basta acessar o website pelo http://IpDoVps:8090 ou porta 80 Opcional .
  5. Amigo irei explicar para você ique está acontecendo.... Hostinger e outros serviços gratís de hospedagem não permite acesso remoto ao MySQL.
  6. Faça o Download do AppServer no Link => http://prdownloads.sourceforge.net/appserv/appserv-win32-2.5.10.exe?download Instalando o APP Server. 01º Baixe o AppServer (Link para download no final do tutorial. 02° Siga as instruções de como instala-lo. Clique em ''Next'' na Primeira tela que aparecer. Na segunda clique em ''I Agree'' (Aceitar os termos). Na terceira clique em ''next'' Na quarta desmarque a 2º opção(MySQL Database) e 4ºopção(phpMyAdmin) e clique em ''next''. Na quinta em 'Server Name' colocoque '' localhost'' , em 'Administrator's Email' coloque seu e-mail. Em 'Apache HTTP Port' coloque a port ''8090'' onde esta marcada na imagem e clique em ''next''. Na sexta espere instalar. E na ultima desmarque as duas opções e clique em ''Finish'' Configurando PHP do Windows. Abra o diretorio ''C:\windows\php.ini'' Aperte ' CTRL+F' e Procure a linha "output_buffering = Off" No lugar do ' Off ' coloque ' On '. Aperte ' CTRL+F' e Procure a linha ";extension=php_mssql.dll" Retire o ";" irar ficar assim "extension=php_mssql.dll" Aperte ' CTRL+F' e Procure a linha "session.auto_start = 0" No lugar do ' 0 ' coloque ' 1 ' Procure a linha "mssql.secure_connection = Off" No lugar do ' Off ' coloque ' On ' Proto esta configurado o PHP agora >> Salve << Vai em "Iniciar" - "Todos os Programas" - "AppServ" - "Control Server by Service" - "Apache Restart". Depois coloque o seu site em C: AppServ/www
  7. Configuração de Dedicado para Lucera 2.0 ( Suporte para até 3000 Jogadores ) Processador: 4x Intel Xeon E7 v3 4.00 Ghz Memória: 16 GB (DDr3) HD: 80GB SSD Tráfego: ILIMITADO Uplink: 10GB/s < -------- 10 GB/s IP Fixo: 1 OS: => LINUX ( Distro ) Fedora ou CentOS Media de Ping: 20 ms a 30 ms Max.
  8. A memória em cache no Linux é usado para acelerar as respostas do sistemas e como o Lineage II enche o cache rapidamente do sistema. Acontece de a maquina precisar utilizar os recursos como CSF ou APF Firewall e não utilizar por causa do cache. No tutorial abaixo iremos mostra como liberar a memória cache do linux sem precisar reiniciar a máquina. Para limpar o cache memory use o comando abaixo como root sync; echo 3 > /proc/sys/vm/drop_caches Para agendar um script que faça esse trabalho de tempos em tempos no crontab Crie o script limpa_cache_l2.sh com o nano ou seu edito de preferência [email protected]_linux:# nano limpa_cache_l2.sh Insira o conteúdo abaixo #!/bin/sh sync; echo 3 > /proc/sys/vm/drop_caches Após salvar o script set a permissão 755 " /root/limpa_cache_l2.sh" [email protected]_linux:# chmod 755 /root/limpa_cache_l2.sh Editando o crontab [email protected]_linux:# crontab -e Adicione a linha no arquivo para que o crontab execute o script a cada hora 0 * * * * /root/limpa_cache_l2.sh ou a cada 30 min: */30 * * * * /root/limpa_cache_l2.sh Reincie o serviço crond para finalizar o processo: /etc/init.d/crond restart
  9. Esse tutorial foi escrito para o Linux Ubuntu, se o seu sistema é outro então adapte este tutorial conforme sua necessidade, sempre verificando o path dos arquivos mencionados e criando uma cópia de segurança além de anotar as permissões dos mesmos antes de começar as alterações. Sempre gosto de posta coisa que vai ajudar a garantir a segurança do seu servidor de lineage 2 isso vai garantir mais tempo em servidores de lineage 2 hoje em dia. Por padrão é possível logar-se localmente em um servidor MySQL como usuário anônimo sem a necessidade de autenticação, apesar do acesso ficar restrito as bases test e information_schema, uma mente criativa pode através de script coletar dados da máquina e armazenar estes dados dentro da base test para futura consulta sem chamar a atenção. Os parâmetros mais utilizados para conexão com o servidor são -u nome do usuário -p requisição de senha -h host / ip -P porta de conexão (padrão 3306) -D base de dados Observação: Apesar de apontarem para o mesmo local, no servidor, localhost e 127.0.0.1 são vistos como coisas diferentes, então um usuário que tem acesso a localhost não necessariamente conseguirá logar em 127.0.0.1, ou seja, dentro da base mysql na tabela user localhost é uma coisa e 127.0.0.1 é outra, ja no arquivo my.conf usa-se apenas 127.0.0.1 quando se fala de acesso local. Tornando o MySQL um pouco mais seguro Para solucionar a questão do login temos três possíveis soluções. Criar uma senha para o usuário anônimo Remover o usuário anônimo (identificado como '' na tabela user) Deletar a base test Optei por criar uma senha forte para o usuário anônimo ao invés de deletá-lo ou de deletar a base test pois ambos podem ser úteis no futuro, assim você não precisa se dar o trabalho de criar uma nova conta ou tabela caso precise de algo corriqueiro e dificilmente alguém tentará crackear a senha de usuário com privilégios restritos apenas para salvar dados na base, mas se a senha for nula essa técnica pode ser válida. Conecte-se como root no servidor através do ip 127.0.0.1 ou localhost $ mysql -u root -p -h 127.0.0.1 -D mysql Altere a senha do usuário anônimo que é identificado como ''@'localhost' substituindo o respectivo texto pela nova senha. mysql>SET PASSWORD FOR ''@'localhost' = password('nova senha'); Query OK, 0 rows affected (0.00 sec) Para testar basta sair do servidor e se conectar como anônimo informando a nova senha, lembre-se de utilizar o parâmetro -p mysql>exit Bye $ mysql -p -h 127.0.0.1 Password: Para evitar logins remotos (ip's externos), procure a seguinte linha no arquivo /etc/mysql/my.conf (este é o path relativo para distro ubuntu, caso não encontre o arquivo procure-o através do comando locate ou find) skip-networking Ao encontrá-la, descomente-a retirando o # da frente do comando, caso essa linha não exista, crie-a. Certifique-se de que no mesmo arquivo a linha abaixo contém o IP local 127.0.0.1 ao invés de 0.0.0.0 assim apenas conexões locais serão aceitas bind-address = 127.0.0.1 Pronto! Menos uma questão de segurança para se preocupar. Se você pretende habilitar acesso remoto, siga as instruções abaixo, caso contrário "por hoje é só pessoal!" Habilitando acesso remotoAtenção: Aqui será feito exatamente o contrário de parte do que fizemos acima! Pois vamos liberar o acesso remoto ao invés de bloqueá-lo, porém de uma forma segura. O primeiro passo é garantir a algum usuário permissão para conectar ao servidor e especificar quais serão seus privilégios, abaixo a lista dos possíveis privilégios: ALL/ALL PRIVILEGES – Simboliza todos os privilégios abaixo; ALTER – Permite alterar a estrutura de tabelas; ALTER ROUTINE – Permite alterar e excluir stored procedures/functions; CREATE – Permite criar base de dados e tabelas; CREATE ROUTINE – Permite criar stored procedures/functions; CREATE TEMPORARY TABLES – Permite a criação de tabelas temporárias em expressões SQL que utilizam esse recurso; CREATE USER – Permite criar e gerenciar usuários; CREATE VIEW – Permite criar visões; DELETE – Permite excluir informações; DROP – Permite excluir estruturas (bases e tabelas); EVENT – Permite criar event schedulers; EXECUTE – Permite executar stored procedures; FILE – Permite ler e escrever arquivos no sistema; GRANT – Permite cadastrar seus privilégios para outros usuários; INDEX – Permite o gerenciamento de índices; INSERT – Permite inserir informações em tabelas; LOCK TABLES – Permite bloquear tabelas; PROCESS – Permite visualizar e finalizar processos do MySQL; RELOAD – Permite recarregar bases de dados; REPLICATION CLIENT – Permite solicitar replicação; REPLICATION SLAVE – Permite replicar suas informações; SELECT – Permite consultas; SHOW DATABASES – Permite visualizar todas as estruturas das bases existentes; SHOW VIEW – Permite visualizar os códigos de criação de visões; SHUTDOWN – Permite desligar o servidor MySQL; SUPER – Permite configurar os dados do servidor MASTER (em caso de replicação); TRIGGER – Permite criar e gerenciar triggers; UPDATE – Permite alterar informações em tabelas; USAGE – Permite utilizar comandos básicos. Vamos criar uma usuária chamada amanda (sugiro a criação de um usuário específico para acesso remoto, uma das vantagens é a identificação nos arquivos de log) e ja definir seus privilégios, isso será feito através do comando GRANT, a sintaxe do mesmo é: GRANT <privilégios> ON <base>.<tabela> TO '<usuario>'@'<dominio>' IDENTIFIED BY '<senha>' Sendo que *.* – Aplica-se a todas as bases! <base>.* – Aplica-se a todas as tabelas da base determinada <base>.<tabela> – Aplica-se a uma determinada tabela Criando a usuária amanda e atribuindo seus privilégios: $ mysql -u root -p -D mysql mysql> GRANT SELECT,INSERT,DELETE,UPDATE ON test.* TO 'amanda'@'%' IDENTIFIED BY 'senha da amanda'; Nota: O uso de ' %' define que a usuária poderá se logar tanto localmente quanto remotamente. Observação: O Comando GRANT cria um novo usuário e atribui privilégios a cada vez que é utilizado, se você estiver realizando alguns testes nesta parte, recomendo que ao terminar de um select na tabela user para verificar se não foi criada mais de uma entrada para o mesmo usuário com hosts diferentes, para revogar privilégios utilize o comando REVOKE Para habilitar conexões remotas ao seu servidor MySQL vamos considerar o cenário do diagrama abaixo, o IP 200.220.4.113 é apenas para fim ilustrativo, substitua-o por seu IP externo! para descobrir seu IP externo visite o site ifconfig.me ou o Ip Chicken. Vamos começar com o mínimo de alterações e caso isso não seja o suficiente partiremos para outra etapa, assim restringimos as mudanças ao que for realmente necessário. Primeiro o arquivo my.conf (o oposto do que fizemos no início deste tutorial) vamos comentar a linha skip-networking (caso essa linha não exista não é necessário cria-la) e alterar o bind-adress para 0.0.0.0, ao comentar a linha skip-networking estamos habilitando as conexões via tcp/ip, ja o bind-adress como 0.0.0.0 permite conexões de qualquer faixa de ip. #skip-networking bind-address = 0.0.0.0 Se ao tentar um login remoto ocorrer o erro: $ mysql -u amanda -p -h 200.220.4.113 -P 3306 ERROR 1042 (HY000): Can't get hostname for your address Procure a linha abaixo no arquivo my.conf, caso exista certifique-se de que ela não está comentada com #, caso não exista, crie-a. skip-name-resolve Se depois disso você receber time-out $ mysql -u amanda -p -h 200.220.4.113 -P 3306 Enter password: ERROR 2003 (HY000): Can't connect to MySQL server on '200.220.4.113' (110) Talvez seu firewall esteja bloqueando a conexão, se for este o caso adicione a seguinte regra ao firewall: $ sudo ufw allow 3306/tcp Para verificar se a regra foi adicionada corretamente $ sudo ufw status Status: active To Action From -- ------ ---- 3306/tcp ALLOW Anywhere 3306/tcp ALLOW Anywhere (v6) Se tudo estiver correto você conseguirá logar remotamente: $ mysql -u yourusername -p -h 200.220.4.113 -P 3306 # Use seu IP externo! Enter password: Welcome to the MySQL monitor. Commands end with ; or \g. Copyright © 2000, 2013, Oracle and/or its affiliates. All rights reserved. Oracle is a registered trademark of Oracle Corporation and/or its affiliates. Other names may be trademarks of their respective owners. Type 'help;' or '\h' for help. Type '\c' to clear the current input statement. mysql> É isto! Observação: Se ainda assim não conseguir conectar remotamente e você utilizar um roteador, será preciso redirecionar a porta do roteador para sua máquina, porém devido a imensa diversidade de modelos de roteadores não irei incluir isto neste tutorial, mas você encontrará informações sobre como fazer o "foward" de portas de diversos modelos no site Port Foward Para remover a usuária amanda que foi criada apenas como teste: $ mysql -u root -p -D mysql mysql> DELETE FROM user WHERE user='amanda'; Para bloquear novamente o acesso no firewall mude a regra de allow para deny: $ sudo ufw deny 3306/tcp Interrompendo o inicio automático do servidor MySQLGeralmente após instalado o servidor passa a ser iniciado como um serviço no boot do sistema, se você o utiliza apenas eventualmente quando está em produção e não como servidor permanente local, como medida de segurança adicional recomendo iniciar o servidor apenas quando você for trabalhar com o mesmo. O cancelamento do início automático pode ser feito de duas maneiras. A Primeira é criando um arquivo override com a instrução "manual", a vantagem deste metódo é que você não precisa alterar o arquivo de inicialização do MySQL, (caso queira voltar a inicializar o servidor automaticamente no boot basta remover o arquivo mysql.override.) Criando o arquivo mysql.override $ sudo touch /etc/init/mysql.override $ echo "manual" | sudo tee /etc/init/mysql.override A outra opção é como root comentar a seguinte linha no arquivo /etc/init/myql.init #start on runlevel [2345] A partir dai para iniciar manualmente o servidor: $ sudo initctl start mysql Para interromper o servidor $ sudo initctl stop mysql Como alternativa também é possível iniciar ou parar o servidor através do comando service mysql <start / stop>
  10. Bom 85% de user's Linux ja passaram ou passa pelo erro mysql.sock e termina perdendo totalmente o DB do Server. Test On: Ubuntu 12.04 TLS Então está ai como resolver o poblema ^.^ O problema Por Diversas vezes isso já ocorreu comigo, sempre na instalação de um novo servidor, ou maquina pessoal. Instalo o mysql, e na hora de conectar Can't connect to local MySQL server through socket '/var/mysql/mysql.sock' (38) A solução Simples e fácil, procure o arquivo de configuração, my.cnf, tenha certeza que ele é o arquivo de configuração mesmo. Faça um backup dele, para evitar qualquer problema. O meu como uso ubuntu está em /etc/mysql/my.cnf cd /etc/mysql/; cp my.cnf my.cnf.bkp Edite o arquivo você provalvemente obterá as seguintes linhas [mysqld] # # * Basic Settings # socket = /var/run/mysqld/mysqld.sock port = 3306 basedir = /usr Verifique se o usuário que está tendo o erro, tem permissão de leitura do /var/run/mysqld/mysqld.sock Se não possuir, dê a devida permissão. MySQL + PHP Caso você esteja tentando se conectar com o php. E está recebendo o erro, pode ser que no seu php.ini esteja fixo um socket. Para resolver basta abrir o php.ini nano /etc/php5/cgi/php.ini Este caminho pode variar de acordo com o php você esteja utilizando, no meu caso eu uso lighttpdcom php-cgi, e este é o caminho padrão. Para quem não conhecia está forma de utilizar o php, ou não conhecia o lighttpd, pode dar uma olhapela Net até eu fazer um tutorial aqui na l2jbrasil sobre lighttpd . Habilite, e veja como o fastcgi pode ser muito mais rápido. Após abrir o arquivo, procure por mysql.default_socket coloque o caminho correto, ou deixe em branco. Qual a utilidade? A diferença de velocidade entre a conexão é bem grande, se você passar o caminho direto do socket se conectará bem mais rápido, principalmente se esse socket estiver em tmpfs. Pra quem não conhece o que é o tmpfs, pode saber mais neste link: Sobre Tmpfs
  11. Faça a Instalação do PhpMyAdmin apt-get install phpmyadmin Execute o LS para Corrigir a Instalação do PhPmyAdmin no Ubuntu 12.04 TLS + ln -s /etc/phpmyadmin/apache.conf /etc/apache2/conf.d Faça o Restart no Ubuntu apache2ctl restart Instalação Manual do PhPMyAdmin wget x https://files.phpmyadmin.net/phpMyAdmin/4.5.2/phpMyAdmin-4.5.2-all-languages.tar.bz2 Faça a extração do PhPMyAdmin tar -jxvf phpMyAdmin-4.5.2-all-languages.tar.bz2 Pronto depois basta fazer acesso no seu IP ou Link Ex: www.l2jbrasil.com/phpMyAdmin-4.5.2-all-languages
  12. Obrigado bom sempre estarei fazendo post's aqui na l2jbrasil sobre desevolvimento de servidores de l2j e etc utilizando distro's diferente mais a 95% dos tutoriais são destinados a ubuntu sistema default Linux.. e outros 5% a RedHat ^-^# Bom conhecimento a Todos.
  13. Há alguns meses eu fiz uma migração de um servidor dedicado para múltiplos VPSs, e como as instâncias possuem uma quantidade reduzida de memória, precisei buscar algumas alternativas pra melhorar ao máximo a performance do meu servidor web. Depois de ter ouvido falar muito (e bem) sobre o Nginx, resolvi experimentar e hoje em dia não troco mais! Além de ter uma performance bem superior à do Apache, o Nginx é bastante simples de se instalar e configurar. Aqui vocês conferem um passo a passo de como instalar e configurar Nginx + PHP5-fpm (PHP 5.5, versão mais recente) em uma máquina rodando Ubuntu 12.04+ . 1. PREPARAÇÃO Isso vai adicionar o ppa do php5 em seus sources, assim quando formos instalar o PHP pegaremos a versão mais recente. Se você quiser usar PHP 5.4, substitua ppa:ondrej/php5 por ppa:ondrej/php5-oldstable . sudo apt-get install python-software-properties sudo add-apt-repository ppa:ondrej/php5 sudo apt-get update 2. INSTALANDO NGINX E PHP5-FPM sudo apt-get install nginx php5-fpm 3. CONFIGURAÇÃO 3.1. Edite o arquivo /etc/php5/fpm/php.ini - Procure pela opção cgi.fix_pathinfo e mude o valor para 0. cgi.fix_pathinfo = 0 3.2 Edite o arquivo /etc/php5/fpm/pool.d/www.conf e procure pela opção listen. O valor correto deve ser: /var/run/php5-fpm.sock (provavelmente você não vai precisar mudar nada, mas cheque para ter certeza). listen = /var/run/php5-fpm.sock Reinicie o php5-fpm: sudo service php5-fpm restart 4. MODIFICANDO O SITE PADRÃO A configuração do Nginx, em alguns aspectos, é similar à do Apache - ambos usam uma estrutura de diretórios que define quais sites / vhosts estão ativos. No Nginx, para modificar o site padrão / principal, edite o arquivo /etc/nginx/sites-available/default server { listen 80; root /usr/share/nginx/www; index index.html index.htm index.php; server_name localhost vhostname.local; location / { #try to find the requested uri or redirect to index.php with request args try_files $uri $uri/ /index.php?$args; } error_page 404 /404.html; error_page 500 502 503 504 /50x.html; location = /50x.html { root /usr/share/nginx/www; } # pass the PHP scripts to FastCGI server listening on 127.0.0.1:9000 # location ~ \.php$ { fastcgi_split_path_info ^(.+\.php)(/.+)$; fastcgi_pass unix:/var/run/php5-fpm.sock; fastcgi_index index.php; include fastcgi_params; } } interpretar scripts php. Alguns detalhes a observar: root - o "document_root" do seu site, ou seja, diretório web público. Nesse caso, está usando o padrão - /use/share/nginx/www , mas você pode mudar para qualquer localização no seu sistema de arquivos. server_name - você pode definir mais de um server_name, como mostrado no exemplo - esse site irá responder tanto por localhost como por vhostname.local (para esse último funcionar, você precisaria adicionar uma linha no seu /etc/hosts apontando o domínio local vhostname.local para 127.0.0.1 ). As alterações só estarão ativas depois que você reiniciar o nginx: sudo service nginx restart Para maiores detalhes sobre as configurações possíveis no Nginx, consulte a documentação oficial: http://nginx.org/en/docs/ 5. TRABALHANDO COM MÚLTIPLOS VHOSTS Para criar mútiplos vhosts, basta copiar o arquivo de configuração acima, fazer as alterações necessárias (server_name e root pelo menos) e criar um link simbólico dentro da pasta sites-enabled - igualzinho ao Apache. Não esqueça de reiniciar o nginx depois de fazer as alterações: sudo service nginx restart. 6. MÓDULOS PHP, BANCO DE DADOS.. O resto dos pacotes a serem instalados vai depender muito dos seus projetos, mas um bom ponto de partida seria sudo apt-get install php5-cli php5-curl php5-xdebug php5-intl php-pear E o banco de dados que você preferir. Um ponto importante a se observar é que, como estamos usando php5-fpm, o comando "php" não estará disponível no sistema, mas basta instalar o pacote php5-cli para resolver o problema. Nginx+php5-fpm FTW :) Se você está usando o Apache (eu sei, a gente se apega...), faça um teste com o Nginx e me diga o que achou. Vale a pena experimentar, até porque o Nginx vêm crescendo bastante e sendo adotado por muitas empresas. ;)
  14. Eu penso em Bug's e CVE's graves., como falhas em App's utilizado para criação do sevidor L2J.# Bug's no MySQL (All Version) Bug's e Falhas no Jogo Bug's e Falhas no Pack ReportBug de projeto postados na L2j como web's, pack, Painel Administrativo e etc. Galera da l2j confunde muito Bug's com Vulnerabilidades em seu servidor, fui pentest de muitos servidores e muitas pessoas são vítimas de invasão por causa de versão de App's , Banco de Dados, Sistemas ou até mesmo o Pack. Como a L2JBrasil e uma área de conhecimento acho que seria uma boa ideia.
×
×
  • Create New...